Serviço Social na Polícia Militar de Goiás

 

Assistente social, um profissional que atua em múltiplas áreas de trabalho, como sejam, assistência social, habitação, saúde, justiça, entre outras, respondendo pelo atendimento à grande demanda social em nosso Estado e em todo o território nacional. Com muita honra e alegria ímpar, comungo e participo do ideal de serviço e da vida de uma assistente social, major Vânia Alencar, profissional que fez e continua fazendo a mudança de paradigmas, fortalecendo e dignificando a sua categoria profissional.
Viver e conviver com alguém que tem por dever de profissão facilitar a vida de seus semelhantes na perspectiva do direito social, contribuindo na promoção da saúde e na melhoria das condições de vida, é uma experiência enriquecedora. Assistente social, uma profissional cuja rotina é abrir caminhos, providenciar encaminhamentos e encontrar as melhores soluções para os mais intrincados problemas.
Tive a honra de participar do momento histórico de implantação do Serviço Social na Diretoria de Saúde, transformada recentemente em Gerência de Saúde da Polícia Militar de Goiás. No mês de agosto de 95, a então tenente Vânia Maria Rodrigues Alencar, recém-chegada ao Hospital do Policial Militar, teve por missão iniciar o trabalho social no âmbito da saúde.
Entre os desafios que lhe foram propostos, não se tratava simplesmente em ocupar uma função como oficial do Quadro de Saúde (QOS), deveria ocupar um espaço para uma categoria profissional, dando visibilidade ao papel do assistente social, de conformidade com os estatutos legais e éticos do Serviço Social. Desenvolveu então um trabalho de educação em saúde com os usuários do hospital do policial militar enquanto aguardavam atendimento médico na sala de espera; uma feliz iniciativa que permitiu a divulgação do Serviço Social, ensejando reflexões oportunas sobre os direitos à saúde e o exercício da cidadania no âmbito da corporação.
Logo nos primeiros momentos, iniciou-se a procura dos policiais militares e de seus dependentes legais pelo atendimento da assistente social, caracterizando uma demanda espontânea e também uma demanda direcionada, através do encaminhamento dos comandantes de OPM.
As necessidades sociais que mais levam os policiais militares a buscar o Serviço Social desde a sua implantação são as seguintes: – Atenção à Saúde, tratamento de doenças, conflitos familiares, estresse laboral, adaptação funcional, remanejamento de unidades e uso de substâncias psicoativas, entre outras.
No enfrentamento das demandas sociais, algumas posturas do assistente social no Serviço Social da PM/GO merecem destaque: – articulação com os demais profissionais, a implantação de programas de saúde com base nas demandas existentes e o compromisso com os princípios profissionais: – qualidade dos serviços prestados, posicionamento em favor da equidade, justiça social e defesa dos direitos sociais, especialmente em uma instituição hierarquizada como a Polícia Militar.
Atualmente, o Serviço Social está ligado diretamente à Gerência de Saúde, sendo responsável pela implantação e coordenação dos seguintes programas de saúde na Polícia Militar: – Programa de Atenção Integral à Saúde do Policial Militar – PAISPM – e Programa Saúde para o Diabético, que funcionam desde janeiro de 1996 e agosto de 1997, respectivamente. Nos próximos dias será lançado oficialmente, no âmbito da Polícia Militar, o Centro de Saúde Integral do Policial Militar, que também contará com a participação do Serviço Social, sendo este voltado para contribuir na melhoria do nível de saúde do policial miilitar e ainda motivá-lo à melhoria da qualidade de vida.
Ao longo dos anos, o trabalho do assistente social vem alcançando reconhecimento, sendo necessário a formação de uma equipe de assistentes sociais para fazer frente à demanda sempre crescente. As assistentes sociais a par dos serviços prestados, ainda se empenham pela conquista de respeito profissional e adequadas condições de trabalho, lutando pela própria dignidade.
Com esta singela reflexão sobre o Serviço Social na Polícia Militar, estendo o reconhecimento aos profissionais assistentes sociais, que no exercício de suas profissões contribuem decisivamente para uma sociedade mais justa, através de uma intervenção qualificada, desprovida de preconceitos, municiada com saberes específicos, dentro dos princípios éticos fundamentais e da universalidade de acesso aos bens e serviços.

Francisco de Assis Alencar é coronel da PM R. RG 4.644 PM/GO

Esta entrada foi publicada em Artigos CEL Alencar. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>