15 de Maio: Dia do Assistente Social

O Servio Social nasceu da necessidade do enfrentamento do conjunto das expresses das desigualdades da sociedade capitalista. Estas expresses caracterizadas como questes sociais (fome, desemprego, falta de moradia, etc.) que constituem o objeto de trabalho do assistente social.

A prtica profissional em seu surgimento, esteve por muito tempo ligada Igreja Catlica que trabalhava as questes sociais de forma assistencialista. Nesta poca, as mocas de famlias nobres saam de suas casas para dar esmolas e fazer visitas aos pobres e eram assim conhecidas com damas de caridade.

A partir da dcada de 60 a prtica profissional foi rompendo laos com a Igreja Catlica e sendo repensada de forma mais tcnica e cientfica dentro da universidade. Assim, as escolas de Servio Social comearam a trabalhar os estudantes como futuros profissionais que seriam preparados para serem planejadores, executores e avaliadores das polticas sociais.

Apesar de toda essa trajetria, algumas pessoas ainda pensam erroneamente que o assistente social um profissional que faz caridade. Isso acontece porque muitas pessoas no conhecem a fundo os seus direitos. Desse modo, quando o assistente social viabiliza o acesso aos direitos sociais garantidos em lei, ele tido muitas vezes como uma pessoa bondosa.

Dentre as atribuies do assistente social, de acordo com a lei n 8.662/93 (Lei de Regulamentao da Profisso) destacam-se:

Elaborar, implementar, assessorar, coordenar e executar as Polticas Sociais, pblicas, privadas e filantrpicas, no mbito da seguridade social (Sade, Assistncia e Previdncia) e, ainda, no Meio Ambiente, na Habitao, no Lazer, na Educao e outras;
Elaborar, coordenar, executar e avaliar planos, programas e projetos na rea do Servio Social;
Pesquisas e estudos que possibilitem o conhecimento da realidade social;
Prestar assessoria e consultoria aos rgos da administrao pblica, direta e indireta, empresas e movimentos sociais.

Vale lembrar que para exercer essa profisso a pessoa dever ingressar na universidade e aps quatro anos de estudos acadmicos se inscrever no Conselho Regional de Servio Social (CRESS) que o credenciar para assumir as competncias privativas de assistente social.

Hoje a profisso de Servio Social vista por alguns como a profisso do futuro, sendo assim, vale a pena ser tambm um profissional do futuro, com a preocupao no somente com o que vir pela frente, mas principalmente com a presente realidade social dos que precisam deste servio.

Texto: Nlia Ferreira – SD QPPM h sete anos e acadmica do 7 perodo de Servio Social da Universidade Catlica de Gois e estagiria do Departamento de Servio Social/DS-PMGO.

Princpios da profisso

Reconhecimento da liberdade como valor tico central;
Defesa dos direitos humanos;
A democracia como valor universal;
A equidade e a justia social ;
O pluralismo e o direito direna;
Combate a todas as manifestaes de discriminao e preconceito
A busca da insero social de todos os indivduos;
Compromisso com a qualidade dos servios prestados populao.

O que faz o Assistente Social?

Estuda a analise a realidade das pessoas e grupos de pessoas, propondo medidas e prestando servios sociais (que venham ao encontro s suas necessidades).
Informa aos usurios de seus servios sobre programas sociais disponveis na Instituio onde atua, tornando-os acessveis a todos os que deles necessitam;
Elabora, coordena e executa aes nas reas de Sade, Previdncia, Educao, Habilitao, Assistncia Social e seu pblico-alvo, crianas e adolescentes, portadores de necessidades especiais e segmentos de baixa renda;
Elabora a gerencia polticas pblicas;
Formula e executa planos programas e projetos sociais;
Preta orientao social (consultoria) a indivduos e grupos sociais.

Departamento de Servio Social DS:

A integralidade humana demanda uma atuao interdisciplinar, o Assistente Social um profissional de sade (Resoluo n 287 de outubro de 1998 Ministrio da Sade) que responde a demanda social dos usurios do servio de sade no processo de adoecimento e na promoo, proteo, recuperao e reabilitao da sade.

Inserido nesse contexto intervm:
Promovendo a intercomunicao entre profissionais de sade e usurios;
Elaborando o diagnstico scio-cultural dos usurios;
Facilitando o acesso aos direitos sociais e humanos;
Na gesto e participao do programas de sade;
Supervisonando acadmica de Servio Socail;
Desenvolvendo atividades scio-educativas;
Participao em conselhos e eventos afins.

Programs coordenados pelo Departamento de Servio Social / DS

Programa de ateno integral sade do Policial Militar (PAISPM)
Programa Sade para Diabtico (PSPD)

Importante

Para maior comodidade o usurio do Departamento de Servio Social / DS, dever agendar consulta social, pessoalmente e/ou via fone: 201-1400 ramais 136 e 139

Equipe de Assistentes Sociais

Major Vnia Maria Rodrigues Alencar
Sargento Maria Sueli da Silva
Elina Braga de Lima e Silva

Acadmicas

Sd Rosngela Costa
Sd Nlia Ferreira
Sd Eni
Isa

Vnia Maria Rodrigues Alencar Majo QOSPM
Surpevisora do Departamento de Servio Social / DS

Esta entrada foi publicada em Servio Social e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>